terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Confira o calendário de pagamento do IPVA para o exercício de 2014

O ano mal começou, mas os prazos para o pagamento de dívidas já está batendo na porta de muitos consumidores. No caso dos motoristas eles sabem o quanto é importante um planejamento no final do ano, para que de maneira organizada e sem apertos eles possam pagar as contas do Imposto sobre Propriedade de Veículos (IPVA) que no Maranhão é parcelado em até três vezes ou poderá ser pago em cota única.
Recentemente a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) divulgou o calendário de pagamento do IPVA para o exercício de 2014, conforme Portaria 384/2013. Para os proprietários de veículos que decidirem pelo parcelamento, o pagamento da primeira cota deve ser efetuado em fevereiro, de acordo com final da placa dos veículos.
Os valores para o licenciamento de veículos do ano de 2014 poderão ser pagos em qualquer agência do Banco do Brasil, apenas com a informação do número do Renavam. O licenciamento é composto pelo IPVA, taxa do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), seguro DPVAT, eventuais multas de trânsito e débitos anteriores.
Se o contribuinte emitir o Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais (DARE) no site da Sefaz, o IPVA e demais despesas do licenciamento podem ser pagos nos correspondentes do Banco do Brasil.
Mas quem decidir pagar o valor total do IPVA até 31 de janeiro terá descontos este ano.“A novidade em 2014 é para quem optar pelo pagamento antecipado em conta única até 31 de janeiro. Nesse caso, serão concedidos 5% de desconto no valor do IPVA”, afirmou o gestor Jânio Miranda.
O sistema para consulta dos valores será disponibilizado, a partir do dia 2 de janeiro, no portal da Sefaz blankwww.detran.ma.gov.br).
Para correntistas do Banco do Brasil, o pagamento poderá ser feito ainda por meio de débito em conta corrente, via canais de autoatendimento. A emissão de extrato pode ser obtida nos terminais do BB, na opção Extrato do Renavam, digitando o número do documento.
Após o pagamento do imposto, da taxa e do seguro DPVAT, o contribuinte receberá, em seu endereço, em até 10 dias úteis, o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo. O CRLV devolvido pelos Correios estará disponível no Viva Cidadão da Praia Grande, quando se tratar de municípios da jurisdição de São Luís; nos demais, o documento ficará disponível nas respectivas Ciretrans. (Com informações do Imparcial)

Deputado e ecretário do Meio Ambiente Victor Mendes recebe homenagem do Ifma

O Secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais, Victor Mendes, recebeu, no ultimo sábado (28), homenagem do Instituto Federal do Maranhão pelos relevantes serviços prestados à instituição.
O evento aconteceu no Cine Teatro Viriato Correia, em São Luís, durante a programação comemorativa pelos cinco anos de criação do Ifma.
Victor Mendes, Apoiou, orientou e aprovou projetos e planos ambientais -pré-requisito para as novas edificações da instituição na expansão para as 21 unidades - Todos passaram por processo de licitação para as edificações. Em 2013 foram nove processos licitatórios de grande porte.
Além do secretário do Meio Ambiente, foram homenageados outros 13 parceiros da instituição.
Entre eles o secretário de Estado, Ciência e Tecnologia, José Ferreira Costa, primeiro reitor do Ifma, que representou a governadora Roseana Sarney na solenidade, o Secretário de Educação, Pedro Fernandes, Sétimo Waquim - Deputado Federal, Edivaldo Holanda Junior- Prefeito de São Luís, Natalino Salgado Filho - Reitor da Universidade Federal do Maranhão, José Rolim Filho-Prefeito de Codó, Edilson Baldez presidente daFiema, Dorgival Pereira–Gerente da Vale e Deraldo Lopes Filho da sociedade civil organizada.

População da Baixada continuam sofrendo nos portos do Ferry Boat

O que parece é que há apenas uma preocupação na questão física dos portos. O que seria mais interessante para quem usa os terminais é sempre e continua sendo deixado de lado. Em períodos como esse de festas que sempre enchem os portos, o sofrimento das pessoas que usam os portos continuam sendo o mesmo. A falta de respeito com o cidadão e a falta de fiscalização, levam as empresas donas do monopólio, no uso dos ferrys a fazerem o que querem sem que haja nenhuma preocupação no cuidado com os passageiros. E assim tem sido. As filas continuam as mesmas, os desrespeitos sempre priorizando os carros, e nunca o passageiro. A preocupação deveria ser com a pessoa e não com o terminal se é bonito ou feio. Essa parece ser a preocupação desses burocratas. Não existe fiscalização e o porto da Ponta da Espera e do Cojupe é um dos maiores passadores de drogas do Norte e Nordeste do Brasil. A capitania dificilmente se faz presente e quando se faz é sempre em tragédias. Não há um trabalho de prevenção. O negocio deles é só o dinheiro. A reforma é de R$ mais de 17 milhões, e não constará um posto eletrônico de banco, não haverá nenhuma operadora para atender os usuários e não haverá com certeza melhorias no atendimento dentro dos ferrys e a exploração na lanchonete e a fedentina nos banheiros, continuará do mesmo jeito. Tá na hora da população fazer a sua parte e começar a protestar.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Ana Paula é recebida em carreata e recebe homenagens em sua terra Bequimão

A campeã Mundial de Randebol Ana Paula Rodrigues foi recebida na sua terra natal Bequimão. Na entrada da cidade, familiares, amigos, autoridades e muitos irmãos a receberam e seguiram em carreata que percorreu as principais ruas e avenidas da sua cidade, Bequimão. Em cima de um carro de som, Ana Paula era aclamada pela população que foi para as ruas receber e ver a campeã com sua medalha no peito e ela enrolada na bandeira do município. Das ruas Ana Paula seguiu para a Câmara Municipal, onde recebeu das autoridades do município, homenagens e horárias só dada a grandes destaques do município. O prefeito Zé Martins falou da alegria em receber uma campeã mundial, e falou dos exemplos que ela dar aos jovens da sua terra e garantiu à Ana Paula que o incentivo que já está sendo dado ao esporte, e a construção de quadras esportivas que serão iniciadas logo, possam assegurar, com esse exemplo como o dela, outros campeões no município. Ana Paula que deixou outros convites, para vir a sua terra Bequimão, disse estar realizando um sonho e pedido do seu Pai, voltar a sua terra trazendo um titulo mundial. Para Zé Encarnado, seu Pai, é um orgulho para a família, mas, também um exemplo para os jovens de Bequimão. Ana Paula que mora e joga na Austria, e foi decisiva no campeonato mundial, confirmou que por onde vai, sempre fala e lembra o nome da sua terra e da sua gente.  E finalizou o seu discurso dizendo, que: “tem orgulho de ser filha de Bequimão”.       





Lá vem Flávio Dino descendo a ladeira; Pesquisa mostra subida de Luis Fernando

Luis Fernando é o candidato que mais cresceu nas pesquisas
Para desespero da oposição, o pré-candidato a governador Flávio Dino continua caindo nas pesquisas desde que o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando, teve o nome lançado para entrar na disputa.
Candidato a governador assim que perdeu a eleição para Roseana Sarney no primeiro turno, em 2010, o presidente da Embratur vinha sozinho na disputa.
Pesquisa do Instituto Amostragem, contratado pelo Jornal Pequeno, apontava que Dino saltou em abril de 2012 de 54,23% para 61,99. Naquele mesmo período Luís Fernando, conforme a mesma empresa, aparecia com míseros 1,62%. A festança no terreiro dos comunistas era farra mesmo. Ou melhor: favas contadas.
De lá pra cá o cenário começou a mudar. Flavio Dino começou a cair do pedestal e Luís Fernando veio crescendo e assustando os que dialogavam nos quatro cantos do Maranhão levando a vitória do comunista no primeiro turno. E com folga.
Antes de encerrar o ano de 2013, o instituto Conceito fez um último levantamento deste ano. Para surpresa dos que cantavam vitória antes do tempo, Dino desceu para 53,4%. Pela mesma pesquisa, Luís Fernando chegou com 20,5%.
Prevendo a reação e performance de Luís Fernando nas pesquisas, a turma da oposição saiu espalhando pelo Maranhão que o secretário de Infraestrutura teria desistido de ser candidato e que seu nome seria trocado pelo chefe da Casa Civil, João Abreu, boato desfeito em seguida.
Com exceção da Escutec, todos os institutos que realizaram pesquisas até agora são ligados direta ou indiretamente ao presidente da Embratur.
No Palácio dos Leões a expectativa é de que a disputa esteja equilibrada a partir de junho e a virada será aguardada para quando iniciar o horário eleitoral na TV.

Luís Fernando tem o que mostrar, desde o período em que foi considerado o melhor prefeito do Brasil e pelos postos públicos por onde passou.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Saiba quais foram os fatos que colocaram o Brasil nasmanchetes internacionais em 2013

Em 2013, o país ganhou destaque no noticiário com os inesperados protestos de junho e por estar no centro do escândalo internacional de espionagem.
BBC Brasil fez uma lista de dez temas que puseram o país em evidência neste ano. Confira e relembre os fatos.
1. Incêndio em Santa Maria
O Brasil acordou mais triste no domingo 27 de janeiro.
Dezenas de bombeiros ainda trabalhavam no resgate de vítimas do incêndio na boate Kiss em Santa Maria, no centro do Rio Grande do Sul.
A tragédia deixou, ao fim, 247 mortos e mais de cem feridos. A investigação mostrou que o incêndio teve início com o uso de fogos pirotécnicos por parte da banda Gurizada Fandangueira. Os integrantes do grupo e os donos da boate foram indiciados por homicídio doloso.
A investigação mostrou ainda que havia superlotação no local e uma série de irregularidades. A espuma acústica, por exemplo, era feita de material tóxico – a fumaça foi uma das causas das mortes.
A morte de mais de 200 jovens, a maioria universitários, causou comoção nacional e motivou uma discussão sobre a segurança nas boates do país.
Mais tarde, a investigação também apontou responsabilidade dos bombeiros e das autoridades, que não haviam feito as vistorias necessárias no local.
2. Estupro de turista no RJ
A pouco mais de um ano da Copa do Mundo, o estupro de uma turista americana de 21 anos no Rio de Janeiro em março deste ano colocou em evidência o estado de insegurança nas cidades brasileiras.
A turista foi estuprada oito vezes, por diferentes homens, na frente do namorado francês. O crime aconteceu após o casal tomar uma van que atuava no transporte público em Copacabana.
O casal passou seis horas em poder dos estupradores e foi deixado em São Gonçalo, na região metropolitana, antes de os criminosos forçarem a vítima a tentar fazer um saque em um caixa eletrônico.
O fato de o estupro ocorrer em uma van, com películas de insulfilm, que bloqueava a visão dos que estavam fora, fez lembrar o caso da jovem indiana violentada em um veículo de transporte público. O caso causou comoção internacional e manchou a imagem da Índia.
As autoridades se apressaram em resolver o caso. Os acusados foram rapidamente localizados. Em agosto, a Justiça condenou três homens por envolvimento no caso.
3. Seleção brasileira recupera imagem
A Seleção Brasileira começou 2013 desacreditada. O time do país sede da Copa do Mundo acumulava maus resultados e atuações ruins, mesmo tendo alguns dos melhores nomes do futebol mundial, como Neymar.
O comando do time havia sido trocado de surpresa, em novembro de 2012. No lugar de Mano Menezes, assumiu Luiz Felipe Scolari.
Mesmo sob o comando de Felipão, que havia liderado a conquista do pentacampeonato mundial em 2002, a seleção ainda não convencia os torcedores.
A apreensão continuou até o início da Copa das Confederações, espécie de ‘ensaio’ antes do Mundial.
As boas atuações dentro de campo foram empolgando aos poucos os torcedores. Em meio aos protestos de junho, o tom nacionalista das manifestações acabou sentido nos estádios. Em todos os jogos, o momento do Hino Nacional se tornou um momento de júblio da torcida.
Ao final, a seleção venceu a favorita, a Espanha, atual campeã mundial. A vitória por 3 a 0 parece ter finalmente convencido os torcedores e recolocado o Brasil na lista dos favoritos para a Copa do Mundo de 2014.
4. Protestos
Em junho deste ano, um pequeno grupo de manifestantes do Movimento Passe Livre em São Paulo entrou em choque com a polícia em meio a um protesto contra o aumento do passe de ônibus de R$ 3 para R$ 3,20.
Cenas da violência e da arbitrariedade da polícia ganharam as redes sociais. O movimento, que já existia em várias cidades, começou a ganhar força com o que foi considerado abuso policial. Uma manifestação foi convocada para o dia 17 de junho em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Nesse dia, uma multidão de mais de 100 mil pessoas saiu às ruas do Rio, de São Paulo e de várias outras cidades. O protesto foi além do aumento nas passagens e as ruas fizeram eco às mais variadas manifestações. Havia desde cartazes contra PEC-37 (projeto de lei que limitava o poder de investigação do Ministério Público) até a favor do Estado laico.
Os protestos pegaram o país de surpresa. A classe política se viu acuada e os dirigentes viram sua popularidade diluir rapidamente. Em Brasília, manifestantes chegaram a ocupar o teto do Congresso Nacional.
Autoridades do Rio, de São Paulo e outras cidades cederam aos protestos e baixaram o preço das passagens. A opinião pública, resistente aos protestos inicialmente, passou a apoiar as manifestações. A polícia baixou o tom repressivo. Protestos tornaram-se cotidianos por quase dois meses.
Ao longo das semanas, o debate político se acirrou nas ruas. Houve registro de brigas entre grupos opostos. Os protestos também ganharam a presença dos Black Blocs, grupo de mascarados de inspiração anarquista, que passaram a promover quebradeira de agências bancárias. Os protestos acabaram ofuscando a Copa das Confederações.
5. Espionagem
Em junho deste ano, um ex-colaborador da NSA (Agência Nacional de Segurança) de apenas 29 anos criou um imbróglio diplomático para o governo dos Estados Unidos.
Edward Snowden revelou um grande esquema de espionagem no qual agências de inteligência estariam monitorando secretamente milhões de telefonemas, e-mails e outras mensagens de cidadãos americanos e de vários países.
Snowden vazou as informações a partir de Hong Kong ao jornalista americano Glen Greenwald, que vive no Rio de Janeiro. O ex-colaborador da NSA passou a ser buscado pelos Estados Unidos e acabou na Rússia, onde ganhou asilo temporário.
Os vazamentos mostraram que, além de cidadãos comuns, dezenas de chefes de Estado também eram monitorados, entre eles a presidente Dilma Rousseff.
Na esteira do escândalo, Dilma cancelou a visita de Estado que faria a Washington, sobretudo após revelações de que a Petrobrás também teria sido alvo.
Dilma criticou fortemente a espionagem na Assembleia Geral da ONU, em setembro. Em seguida, os vazamentos mostraram que a chanceler alemã, Angela Merkel, teve o próprio celular grampeado.
Merkel reagiu. Brasil e Alemanha apresentaram uma resolução contra a espionagem na ONU. Snowden continua asilado na Rússia e chegou a escrever uma ‘carta ao povo brasileiro’, que levantou especulações sobre um pedido de asilo ao Brasil. Em dezembro, um juiz federal considerou o sistema de espionagem ilegal.
6. Leilão de Libra
Ainda sob o calor das manifestações, o leilão do Campo de libra, o primeiro sob o novo modelo de partilha, se deu sob tensão.
O governo convocou o Exército para fazer a segurança do hotel na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Na imprensa internacional, a imagem de soldados montando guarda junto a banhistas na praia ilustrou o leilão de uma das maiores reservas petrolíferas do mundo.
Ao fim, apenas um consórcio apresentou proposta, para a decepção de muitos analistas. O grupo formado pela Petrobrás, a anglo-holandesa Shell, a francesa Total e as chinesas CNPC e CNOOC arrematou o campo.
O consórcio também deu o lance mínimo de R$ 15 bilhões, mais mais 41,65% do petróleo produzido após descontados os custos de produção (o chamado lucro-óleo).
A expectativa é que o Campo de Libra produza 1,4 milhão de barris de petróleo por dia, no seu pico de produção.
O governo comemorou o resultado, mas muitos analistas não tiveram uma opinião tão positiva. A imprensa internacional também teve opinião díspar sobre o leilão.
A revista alemã Der Spiegel disse que o Brasil leiloou um ‘tesouro por uma pechincha’. Já o Wall Stret Journal afirmou que o país deu um passo rumo ao patamar das grandes nações produtoras de petróleo.
7. O tombo de Eike Batista
Ele era o garoto propaganda do crescimento econômico do Brasil. Com uma fortuna estimada em US$ 30 bilhões, o empresário Eike Batista foi apontado em 2012 como o sétimo homem mais rico do planeta pela revista Forbes. Mas para ele era pouco – Eike disse que em breve estaria no topo da lista.
A ânsia bilionária de Eike, no entanto, não resistiu à desconfiança do mercado. A baixa lucratividade de suas cinco empresas, a MMX (mineração), MPX (energia), OGX (petróleo), LLX (logística) e a OSX (petróleo) fizeram a fortuna de Eike ruir. A dívida das empresas e da holding seria de cerca de US$ 28 bilhões.
Em novembro, a OGX entrou com um pedido de recuperação judicial. Eike agora corre contra o tempo para equilibrar as contas da empresa. Se não conseguir, em breve poderá ver a falência da OGX.
Mais que um império empresarial, a derrocada de Eike também pode fazer ruir projetos audaciosos do empresário carioca. Já não se sabe qual será o destino do Porto de Açu, um imenso complexo no litoral norte do Rio de Janeiro.

Eike havia apadrinhado vários projetos na cidade. Mas a crise que assolou os negócios do empresário fez Eike cancelar os investimentos nas UPPs cariocas e colocar à venda o emblemático Hotel Glória, sob restauro.
8. A oposição se realinha no Brasil
Durante as manifestações de junho, a presidente Dilma Rousseff viu sua alta popularidade encolher em questão de dias. Se até então a presidente parecia ter pela frente uma reeleição garantida com facilidade, o turbilhão político fez Dilma se deparar com um cenário eleitoral improvável.
O cenário ganhou tons ainda mais surpreendentes em outubro deste ano, com o anúncio da aliança entre Marina Silva e Eduardo Campos, dois ex-ministros do governo petista.
Marina, ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, já havia saído a grande novidade das eleições em 2010, quando ficou em terceiro lugar com mais de 20 milhões de votos, então pelo Partido Verde. Após desentendimentos, Marina deixou o PV e passou a militar pela criação da Rede Sustentabilidade, um novo partido.
A Rede não conseguiu validar o número mínimo de assinaturas para se efetivar como partido e teve sua criação barrada. Em uma jogada inesperada, Marina anunciou em outubro sua filiação ao Partido Socialista Brasileiro, o PSB, do governador pernambucano Eduardo Campos.
Campos também almeja chegar ao Planalto. Ainda não se sabe qual dois dois estará na cabeça da chapa, que pode desbancar o PSDB como primeira opção da oposição no país.
Enquanto Marina e Campos anunciavam o noivado improvável, o líder do PSDB, Aécio Neves, ainda tentava impor sua candidatura sobre José Serra, que não dava mostras de desistir da corrida à Presidência, apesar de ter amargado duas derrotas. Serra anunciou na última semana apoio a Aécio. Mas embora a oposição tenha já posto o batalhão na rua, Dilma recuperou parte da popularidade, com pesquisas apontando para seu favoritismo em 2014.
9. A economia patina
Após virar o queridinho da imprensa internacional, que não cansava de elogiar o vigor da economia, o Brasil virou alvo de desconfiança dos mercados em 2013.
Em setembro, a revista britânica The Economist colocou na capa a frustação com a economia brasileira. O Cristo Redentor, que anos antes aparecia decolando em outra capa da revista, desta vez aparecia desgovernado, prestes a se chocar com o solo.
Após o PIBinho de 2012, quando o país cresceu apenas 0,9%, a promessa do governo era a de que o país teria um resultado mais vigoroso neste ano.
Ao longo dos meses, no entanto, a economia deu sinais pouco promissores e as expectativas foram diminuindo. Em dezembro, a pesquisa Focus do Banco Central, que avalia a opinião de fontes do mercado, disse que o país não deve crescer mais que 2,3% – resultado que não é uma tragédia, mas que está longe dos 7,5% de 2010.
Além da desaceleração, o governo viu picos de elevação da inflação, que ao fim deve fechar dentro do teto meta de 6,5% em 2013. Também houve ao descompasso das contas públicas, com excesso de gastos do governo e a expectativa de que o Brasil não cumpra a meta do superávit primário deste ano.
Apesar dos números pouco promissores, o desemprego chegou ao nível mais baixo da história. Em dezembro, o índice de desocupação era de apenas 4,6%.
Para muitos economistas, a economia deve voltar a ganhar fôlego em dois ou três anos, quando se fizer sentir o efeito das privatizações de aeroportos, estradas e ferrovias, feitos pela presidente Dilma Rousseff.
10. A Copa, sempre a Copa
Em menos de uma semana, no dia 31 de dezembro, todos os 12 estádios para a Copa do Mundo deveriam estar prontos. A expectativa é que apenas metade deles, no entanto, cumpra o prazo.
A contagem seria diferente se em novembro a grua que levantava a última parte do teto da Arena São Paulo não tivesse caído e matado dois operários. Mais de 90% do estádio estava pronto.
As duas mortes na arena que vai receber o jogo de abertura da Copa trouxe à tona, mais uma vez, o atraso nas obras e a correria para deixar tudo pronto.
Em dezembro, foi a vez de Manaus registrar outro incidente fatal. Um operário despencou e perdeu a vida, após um cabo se romper. No mesmo dia, outro operário morreu, vítima de ataque cardíaco, nas obras de um centro de convenções ligado à Copa.
Familiares e operários culparam a correria pelas mortes. A Justiça chegou a paralizar as obras e trabalhadores entraram em greve. Ao todo, sete operários perderam a vida nos canteiros de obra.
A expectativa, agora, é que até abril todos os estádios estejam prontos. Sob a marcação cerrada da imprensa internacional, o Brasil se apressa em deixar tudo preparado para a Copa.

Além das obras nos estádios, o governo tenta ainda driblar eventuais problemas nos aeroportos e a escalada dos preços dos hotéis, que já anunciam diárias exorbitantes para os dias do Mundial.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

MUSEU DO RÁDIO INSTALADO EM PINHEIRO

Já está instalado e aberto para visitação pública, o museu do rádio em Pinheiro. Com uma coleção de quase 30 rádios antigos de todos os modelos e marcas, que vai do famoso SEMP (jabota), passando pelo não menos famoso PHILCO TRANSGLOBE até os mais novos MOTORÁDIO, MOTOBRÁS, O maior amante do radio AM da Baixada, Carlos Prestes, um fanático ouvinte de rádio, espera receber os amigos e amantes destes, que segundo ele nos relatou, é o veículo de comunicação mais importante já inventado pelo homem. Ao contrario do que muitos diziam que o rádio AM estava com os dias contados, ele está é mais forte do que nunca.  Com a internet, o ipod, o iphone, o celular, etc...  Em todas essas mídias o velho radio, está inserido; principalmente agora já na era do rádio digital, decreto assinado no dia 07 de novembro de 2013 pela presidente Dilma,  autorizando que as emissoras que operam em AM passando para a faixa estendida do FM usadas pelas TV’s que vai de 76,9 mhz a 87,9 mhz, melhorando a qualidade do sinal e eliminando aqueles irritantes chiados e interferências do rádio AM. O Museu do Rádio fica na residência de Carlos na Rua Cel. Raimundo Araújo, nº 768, próximo ao antigo colégio ACREP, hoje SENES. Carlos Prestes está aguardando a sua vista!!

Natal volta a fazer a alegria das crianças em Bequimão

Depois de anos sem alegria, as crianças do município de Beqimão, voltaram a ver e sentir a alegria de um natal com presentes. O que já fazia o ex. prefeito Juca Martins, o que deixou muita saudade, disse a senhora Maria de Lurdes, mãe de uma das crianças presentes, volto a acontecer na gestão do prefeito Zé Martins que emocionado com o evento, garantiu, que com as dificuldades, não pôde fazer a distribuição de presentes, no dia das crianças, mas que essa alegria se repetirá durante os anos do seu governo. “Não tem dinheiro que pague, ver o sorriso de uma criança recebendo um brinquedo”. Disse o prefeito Zé Martins.  Para a secretária de Cultura Dinha que organizou o evento, este natal atenderá com presentes, crianças da cidade, nas escolas, e nos povoados polos do município de Bequimão. Para a primeira Dama do Município, que esteve presente e ajudou na distribuição dos presentes; é um momento muito especial não somente para as crianças, mas, marca um novo momento de paz, de alegria e realizações para a população do município de Bequimão. Com a presença do Papai Noel, que abrilhantou a festa e encantou a criançada, a distribuição de brinquedos foi o marco de uma nova era em Bequimão, disse o secretário Orlando. O ex. prefeito Juca Martins presente na festa, confirmou a felicidade em poder ver de volta a distribuição de brinquedos para as crianças do município na administração do prefeito Zé Martins e que todo esforço será feito para que todos natal a festa se realize a faça a alegria da criançada. Disse Juca.





Roseana quer erguer 11 presídios com parceria do BNDES em Pinheiro é um deles

Com a autoridade desafiada pelas facções criminosas que dominam o maior presídio do Maranhão, o complexo de Pedrinhas, a governadora Roseana Sarney deseja erguer 11 presídios novos a toque de caixa. Quer fazer isso com dinheiro do BNDES —coisa de R$ 53 milhões— e sem licitações.
Deve-se a atmosfera emergencial à imprevidência do próprio Estado. No Maranhão, emergência tornou-se outro nome para a imprudência. É como se o governo local, desejasse desnudar a incompetência, cometendo-a. A administração de Roseana recebera do Ministério da Justiça R$ 22 milhões para construir três cadeias entre 2011 e 2012.
A aplicação do dinheiro estava condicionada à apresentação de bons projetos. Por razões que a sensatez desconhece, o governo maranhense descumpriu as pré-condições. A verba voltou às arcas do Tesouro. E o caos do sistema penitenciário aprofundou-se na proporção direta do crescimento do monturo de cadáveres.
Nos últimos doze meses, foram executados dentro dos cárceres do Maranhão 59 detentos. Numa chacina de outubro passado, produziram-se no complexo de Pedrinhas dez cadáveres e mais de duas dezenas de feridos. Com o cadeião de Pedrinhas sob convulsão, Roseana decretou “situação de emergência” —que lhe permitiria agora dispensar as licitações.
Na semana passada, arrancado de sua inércia por um novo surto de violência no presídio de Pedrinhas (cinco mortos, três decapitados), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu explicações a Roseana por escrito. O prazo para a resposta venceu na terça-feira.
Como não havia expediente na Procuradoria, a data limite foi esticada para esta quinta-feira pós-natalina. Porém, Roseana já mandou dizer que precisa de pelo menos 15 dias para se manifestar. O procurador-geral cogita requerer no STF a intervenção federal no Maranhão.
Há dois meses, em 24 de outubro, Roseana recebeu em sua sala representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Seus interlocutores tinham acabado de visitar o inferno de Pedrinhas. Desfiaram na frente dela o rosário de violações de direitos humanos que haviam testemunhado.
Nesse encontro, Roseana disse que não compactua com as atrocidades. E mencionou a intenção de erigir os 11 presídios novos —dez no interior do Estado, um na capital São Luís. Entre os presentes estava o juiz Douglas de Melo Martins. Vinculado ao Tribunal de Justiça do Maranhão, Douglas está cedido ao Conselho Nacional de Jutiça. Ele assessora a presidência do órgão, hoje ocupada por Joaquim Barbosa, que também preside o STF.
Profundo conhecedor das mazelas carcerárias do Maranhão, o doutor Douglas sustenta que o Complexo Penitenciário de Pedrinhas fugiu ao controle sobretudo porque recebe presos de todo Estado. Nessa versão, o crime organizado do interior do Maranhão passou a disputar território dentro da cadeia com as facções criminosas da capital. Daí a elevada quantidade de defuntos.

Contra esse pano de fundo, Roseana acertou ao localizar em cidades do interior maranhense dez dos 11 presídios que pretende erguer. Ela prometera entregar as cadeias prontas em seis meses. Já lá se vão dois. E não há vestígio de parede levantada. O presídio de Pinheiro é um dos que estavam previstos para ser construído.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Mais uma turma de produtores é certificada pelo Programa Negócio Certo Rural

Cerca de 120 produtores rurais dos municípios de São Vicente Ferrer, Cajapió e Bacurituba, na região da Baixada Ocidental Maranhense, receberam o certificado de participação do programa Negócio Certo Rural (NCR), desenvolvido através da parceria entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Sebrae, que busca desenvolver pequenas propriedades como negócio e fonte de renda.
Estiveram presentes à solenidade de certificação, a gerente regional do Sebrae em Pinheiro, Rosa Amélia Borges; o coordenador do NCR pelo Senar, Reginaldo Vieira de Sousa; os secretários de agricultura dos municípios atendidos: Manoel Andrade, de São Vicente Ferrer; José Ribamar, de Bacurituba; e Maria Oneide, de Cajapió, além de lideranças políticas da região.
O coordenador do NCR – Negócio Certo Rural, Reginaldo Vieira, destacou as ações da parceria que foram realizadas na região, que contou com cursos e treinamentos específicos de nas áreas de bovinocultura, olericultura básica, avicultura básica, ovinocaprinocultura e melhoramento de farinha, ocorridos durante a realização do PNCR.
A gerente regional do Sebrae em Pinheiro, Rosa Amélia Borges, parabenizou a todos os produtores capacitados pelo programa e destacou a sólida parceria entre o Sebrae e Senar em prol do desenvolvimento da Baixada, reafirmando a participação efetiva da instituição na promoção de capacitação e treinamento aos produtores para 20014. “Através da parceria, melhoramos a cada dia o intercâmbio entre produtor rural e prefeitura municipal. Com essas capacitações estamos dando a oportunidade para que todos melhorem de vida”, avaliou Rosa Amélia.
O aluno João de Jesus, de 43 anos, conta que participou dos cursos de piscicultura e melhoramento de farinha. Durante a solenidade, ele foi o representante da turma, oportunidade em que agradeceu a todos os envolvidos na realização da capacitação. “O curso nos trouxe outra visão. Aprendemos a valorizar nossos produtos no momento da comercialização e só temos a agradecer ao Senar, ao Sebrae e à prefeitura, que nos deram essa chance“, ressaltou João, que ainda motivou os colegas. “A partir de hoje, desejo que possamos colocar todo nosso aprendizado em prática”, refletiu.
Durante a certificação, as duas instituições aproveitaram para reafirmar a parceria para o ano de 2014, informando que novas turmas do Programa Negócio Certo Rural serão oferecidas região, com início previsto para o mês de fevereiro.

Flávio Dino perde mais um; prefeito Nonato de Cajapió deixa PCdoB para apoiar Luis Fernando

Ao lado do deputado César Pires, Nonato Silva conversa com João Abreu
O prefeito de Cajapió, Nonato Silva, confirmou a sua saída do PCdoB para oficializar o apoio à candidatura do secretário Luis Fernando Silva (PMDB) ao Governo do Estado.
Nonato se reuniu com aliados de Luis Fernando para comunicar a decisão.
Eleito pelo PCdoB – e tendo como vice a irmã do ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), principal padrinho político do chefe comunista Flávio Dino – Nonato Silva nunca se sentiu à vontade entre os oposicionistas.
Desde o início de sua gestão procurou apoio do governo. Patrulhado pelos comunistas, começou a perceber que o grupo era sectário e exclusivista demais para ter a sua presença.
É o segundo prefeito do PCdoB que confirma apoio ao secretário Luis Fernando Silva.
Em outubro, o prefeito de Igarapé Grande, Bruno Costa Galvão, o Bruno do Breado, e seu pai Edvaldo Lopes Galvão, o Breado, também decidiram deixar a seara de Flávio Dino para apoiar o candidato do PMDB.
Outro prefeito comunista que acompanha constantemente Luis Fernando em suas viagens pela região tocantina é Edson Souza, de Lajeado Novo. O prefeito de Gonçalves Dias, Vilson Andrade, também segue com Luis Fernando.
Dos prefeitos eleitos pelo PCdoB, apenas Herando Macedo, de Dom Pedro, segue com o chefão comunista.
Mas faz questão de ressaltar o respeito pelo candidato do PMDB, partido a que pertenceu…

domingo, 22 de dezembro de 2013

Prefeito Lobato manda destruir patrimônio Público e gera comoção e revolta em Santa Helena

O ato de insanidade cometido pelo prefeito Lobato e sua turma, gerou comoção e revolta em Santa Helena. “Isso não pode ser de uma pessoa normal; só pode ser de uma pessoa muito doente”. Dizia Dona Maria Helena, que chorava enquanto via homens destruindo nas praças da cidade de Santa Helena os símbolos da administração da prefeita Helena Pavão. “não quero deixar nada que lembre a prefeita Helena em Santa Helena”. Teriam sido; as palavras do prefeito Lobato para mandar destruir a marretadas as logomarcas espalhadas em todas as obras da prefeita na cidade e no interior do município de Santa Helena. Para esquecer a prefeita Helena, ele vai ter que mandar destruir quase tudo que existe em Santa Helena, pois a grande maioria das obras que existem hoje no municipio, foi a prefeita Helena quem fez, disse o ex. secretário de obras, Marcone Araujo, muito revoltado com o ato do prefeito e a falta de atitude dos vereadores e principalmente da justiça que vê as coisas ruins acontecendo em Santa Helena e não toma nenhuma atitude. Destruição do patrimônio público é crime, disse o vereador Capim que confirmou que vai para a justiça pedir que sejam tomadas as providencias cabíveis.  “Não é desse jeito que ele vai fazer agente esquecer a prefeita Helena, sabe porque? “Por que a prefeita Helena está marcada no coração da população de Santa Helena, pois ela sempre tratou a cidade e a população com carinho e não com violência”. Disse Dona Neusa. O vereador Joadson ex. aliado de Lobato e filho do vice Fernando Crente perguntou: E qual é marca do prefeito Lobato? E ele mesmo respondeu: “Até agora somente a marca da perseguição, das demissões, das transferências irregulares, do corte de salários, do não pagamento dos servidores, da demissão de médicos, da falta de medicamentos, do não funcionamento das escolas, da falta da merenda escolar, do sumiço das ambulâncias, da falta de água na cidade e no interior, da perseguição ao vice prefeito e aos vereadores aliados, demissão de secretários. A marca dele ao contrario da prefeita Helena é tudo de ruim, completou o Vereador Joadson.