terça-feira, 17 de outubro de 2017

O choro de Luciano a mulher e a mãe

Os cinco vereadores ligados a Leonardo Sá aguardavam o prefeito para uma reunião e foram surpreendidos ao receberem descendo do avião, o prefeito Luciano a mulher e a mãe todos três em platôs, vejam só: “ para quem até pouco tempo não tinham dinheiro para vir a Pinheiro de Ferry Boat” agora só andam em dois aviões .  Segundo relato de um dos vereadores, a sena foi melancólica, ver a mãe do prefeito chorando e pedindo aos prantos: “não abandonem meu filho ele precisa muito de vocês”. A sena foi hilária, relatou o vereador. Segundo informações de assessores, o prefeito está dormindo sob efeito de medicamentos. A luta do prefeito que já vê o seu mandato se dissolvendo e indo pelo ralo é tentar junto ao presidente Elizeu de Tatan que já vem se articulando e pensa em assumir a prefeitura, se segurar e junto com a sua base que hoje depende fundamentalmente dos vereadores de Leonardo, vejam só. Luciano depende e bajula Leonardo que Já disse é candidato a Deputado Estadual, contra a vontade de Luciano, que quer que ele saia federal, pois, acha que elege a mulher para a Assembleia Estadual. Diz um articulista: “ Esse prefeito é tão vaidoso e doido que ao invés dele ta tentando salvar o seu mandato que pelo visto já terminou, quer eleger a mulher para deputada” é loco ou não é pergunta?. Pela quantidade de bobagens feitas por ele e pelo vice Stélio, que não ver mais possibilidade de assumir com a queda de Luciano, foi para a Secretaria de Infra Estrutura com o filho para tentar, vejam só, salvar o governo. E para surpresa de todos quem pensa que Filuca esteja por trás de tudo isso, engana-se. Luciano ta sendo capaz de cavar sozinho com sua família e aliados, a sua própria sepultura. Filuca assiste de camarote a derrocada de Luciano e sua turma. Uma frase de aliados que vem chamando a atenção nas redes sociais é: “Força Luciano” muitos querem saber se ele ta doente. Se sofreu acidente. Se o avião caiu. Se estar se recuperando de alguma doença? Tem servido de chacota. A coisa ta tão feia que o prefeito já começou a ser vaiado. E vereadores antes aliados, começam a se pronunciar na tribuna da câmara contra os desmandos do governo de Luciano. De tantos escândalos como o da folha com 18 advogados e o ex. prefeito de Santa Helena recebendo R$ 15 mil reais, ou dos Três médicos da família Hortegal que levam mensalmente do município um pouco mais de R$ 300 mil reais por mês, em penas 9 meses são muitos, o ultimo foi a denuncia de um filho que estava com sua mãe doente no Antenor Abreu e a família para entrar no hospital para ver a mãe que estava morrendo teve que pagar propina para o porteiro. De tudo isso o que vem causando mais estranheza é a omissão do Ministério Público de Pinheiro.....    

Funcionária Pública é despejada de casa após salários atrasados e leva suas coisas pra porta da prefeitura

O Blog Jamys Gualhardo recebeu uma denúncia gravíssima na cidade de Viana na baixada maranhense, uma funcionária da prefeitura da cidade após vários salários atrasados foi despejada da sua residência.
Em atitude de desespero, pegou seus pertences e os colocou na porta da Prefeitura como forma de tentar solucionar o problema, funcionários da prefeitura ainda batem palma como mostra a imagem abaixo.
A situação constrangedora ainda não teve solução viável e aguardamos um posicionamento por parte das autoridades competentes para combater essa insanidade da administração pública.
Veja :





Deputado Estadual Toca Serra participou do Jogo Amador entre o combinado de veteranos sub 40 de Pedro do Rosário

O Deputado Toca Serra participou no último Domingo do Jogo Amador entre o combinado de veteranos sub 40 de Pedro do Rosário e Santa Luzia do Paruá, pelo campeonato de Veteranos Quarentão de Araguanã, Organização Canela.O Deputado Toca Serra, joga pelo time de Pedro do Rosário.

Família e aliados na farra dos super salários no governo de Luciano

Dados coletados na última terça-feira (10), na página da Prefeitura de Pinheiro na internet (Portal da Transparência, seção Folha de Pagamento) apontam a existência de um time de super funcionários na gestão Luciano Genésio, detentores de remunerações que ultrapassam em alguns casos os vencimentos dos secretários municipais.
De um total de quase 670 nomes registrados na Folha de Pagamento referente ao mês de setembro, 168 colaboradores recebem salários acima de R$ 3.500,00. Destes, 36 têm remunerações no patamar de R$ 4.080,00, vencimento básico dos secretários municipais. E 72 deles, seletos ocupantes de cargos comissionados, são donos de super salários que chegam a R$ 9.306,00, contra a média salarial dos chamados “barnabés”, que varia entre R$ 934,00 e R$ 1.640,00.
Analisando-se os dados, observa-se que é nas secretarias de Saúde, de Educação, de Planejamento, Finanças e Tributos, na Contadoria do Município, Procuradoria Jurídica, Controladoria, Chefia de Gabinete e na estrutura de Licitações onde estão alojados a maioria desses casos.
Nas secretarias de Saúde e Educação, estranhamente todos os adjuntos recebem remunerações maiores que seus chefes, os secretários Raimundo Miranda e Augusto Miranda. Constituem exceções a essa distorção, profissionais de saúde e professores em final de carreira, que aparecem na folha com remunerações superiores a R$ 3.500,00.
Super salários – No grupo dos super salários, alguns casos chamam atenção. O primeiro deles vem justamente da família do prefeito Luciano Genésio (PP). Na chefia da Controladoria Geral do Município, está alojada a irmã do gestor, Karla Lucyana Soares Canto Costa, recebendo por mês R$ 9.360,00. Lotado na secretaria de Administração, Planejamento, Tributos e Finanças está Rogério da Silva Canto Costa, marido de Karla Lucyana, recebendo remuneração igual à da mulher, salário esse superior ao do titular da pasta, Magno Luís Mendes (R$ 4.080,00).
Também na folha, a mãe de Luciano, Maria da Graça Silva Soares, contratada da secretaria de Saúde como médica, recebendo R$ 14.223,92. Já do lado de Thaiza Hortegal, esposa do prefeito, a folha traz o pai, Talvane Hortegal recebendo como médico por três fontes da Saúde (Hospital Antenor Abreu, Materno Infantil e PSF), recebendo no mês de setembro quase R$ 149 mil reais. E, ainda, o irmão Kaio Hortegal, médico, recebendo por duas fontes (Antenor Abreu e Materno Infantil). Em setembro, o médico embolsou quase R$ 82 mil reais. Além destes, o primo Rafael Matos Hortegal, que recebeu R$ 49,4 mil. Mas este, conforme indicado na própria folha, foi desligado dos dois contratos, no Antenor Abreu e como médico do PSF, respectivamente em 01/08 e 01/06/17.
Dentre os aliados, destaque para o médico Francisco de Assis Pires de Sarmento, pai do ex-vereador e candidato a prefeito Leonardo Sá (PCdoB), que em setembro embolsou a quantia de R$ 103.948,06.
Caminhão – Dentre os comissionados, chama atenção também o caso de Fernando Pinheiro, conhecido como Caminhão, motorista do prefeito. Pinheiro é lotado na secretaria de Administração, Planejamento, Tributos e Finanças, com uma remuneração de R$ 9.360,00 pouco maior do que, por exemplo, à do Procurador do município, o advogado Tibério Mariano Martins Filho, que a título de remuneração recebe R$ 9.284,49.
Na secretaria onde está alojado o motorista marajá, aliás, todos os comissionados que aparecem na folha recebem remunerações superiores ao teto dos secretários municipais.
Quem também é dono de situação privilegiada é o vice-prefeito Stélio Cordeiro que em setembro embolsou R$ 13.441,07, recebendo como professor, como vice-prefeito e comissionado lotado na Chefia de Gabinete. A remuneração como comissionado, de pouco mais de R$ 8 mil no mês em análise, parece ser decorrente de substituição do prefeito nas ausências recorrentes para descanso. Na cota do vice-prefeito, filha e sobrinha também integram o trem da alegria em que se transformou a Prefeitura de Pinheiro.
A Procuradoria do Município também não escapa. Composta por um time de 21 profissionais dentre indicados de aliados e até filhos de desembargadores, a Procuradoria paga salários de, em média, R$ 4.200,00 (excetuando-se assistentes e pessoal administrativo).
Dentre os aquinhoados está João Jorge de Weba Lobato, ex-prefeito de Santa Helena, que garante uma boquinha mensal de R$ 15.000,00.
O órgão acolhe ainda o advogado Carlos Renato Almeida Marinho, filho de José Carlos Marinho, ex-secretário de Infraestrutura que recentemente desligou-se da administração por não rezar a cartilha dos Genésios. Amigo de Luciano, Carlos Renato recebeu em setembro R$ 6.273,66, embora esteja impedido de advogar, com o registro suspenso da OAB/MA. Também na folha, a irmã de Carlos Renato, Caroline Almeida Marinho, com remuneração de R$ 6.223,92, contratada como enfermeira.
A folha é também abrigo pessoas como a cunhada do vereador Lucas do Beiradão, Daciane Pereira Fernandes, ironicamente lotada na Secretaria de Transparência para exercício de cargo comissionado com patamar salarial de secretário municipal.
Em tempo: Os dados foram coletados no dia 10/11 no Portal da Transparência. Desde quarta-feira, 11/10, a página foi tirada do ar. No local consta a informação “Em construção”. Entretanto, o Blog já possui toda documentação que foi publicada.  Todas as informações acima divulgadas, foram baseadas em dados divulgados pela própria gestão de Luciano Genésio.
Jorge Aragão

A delicada situação de Wellington do Curso no PP

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) está em situação delicada no seu partido e isso ficou bem claro após as palavras do Líder do Governo Flávio Dino (PCdoB), Rogério Cafeteira (PSB), na Tribuna da Assembleia Legislativa.
Cafeteira repercutiu a troca de secretários na SEDEL (Secretaria de Esporte e Lazer), onde, conforme o Blog antecipou (reveja), saiu o petista Márcio Jardim e entrou Hewerton Carlos Rodrigues Pereira (PP). A indicação de Hewerton Rodrigues Pereira é do presidente do PP no Maranhão, o deputado federal André Fufuca.
Por conta dessa indicação, Rogério Cafeteira aproveitou para alfinetar Wellington do Curso, que tem tido um papel importante junto aos demais deputados que fazem Oposição ao Governo Flávio Dino.
“É com muita satisfação que vejo o PP, do meu amigo deputado Wellington do Curso, serrando fileiras junto ao Governo do Estado e dando sua contribuição para que a gente possa realmente efetivar as mudanças que o Maranhão necessita. Tenho certeza que o deputado Wellington não vai fugir a esse combate e vai estar ao nosso lado trabalhando pelo bem do Maranhão”, afirmou.
O Líder do Governo foi mais além e já pediu que o PP, cujo Wellington é o único representante da legenda na Assembleia Legislativa, integre o Blocão do Governo no parlamento estadual.
“Quero já solicitar que a Mesa Diretora, se é possível ainda neste semestre, inclua o PP no nosso Blocão, já que agora faz parte do Governo Flávio Dino e faz parte da nossa administração. Deputado Wellington, seja muito bem-vindo, é uma alegria muito grande lhe receber”, ironizou Cafeteira.
Pela postura que tem sido adotada por Wellington do Curso na Assembleia e pela sua coerência política, não é errado afirmar que Wellington está de malas prontas para uma outra legenda.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Empresa e ex-gestores são condenados por irregularidades em licitação

A empresa Conservis e cinco pessoas, entre elas o ex-prefeito do Município de Bacuri, José Baldoíno da Silva Nery, foram condenadas por crime de improbidade administrativa, sob o argumento de que o processo licitatório para contratação de serviços de locação de veículos para transporte escolar fora simulado e direcionado para a empresa. A decisão foi da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA).
De acordo com a ação movida pelo Ministério Público estadual (MPMA), foram detectadas diversas ilegalidades, entre elas a que acabou por culminar no trágico acidente, em abril de 2014, envolvendo uma caminhonete do tipo “pau de arara” que transportava alunos da rede pública, na qual morreram oito adolescentes e outros oito sofreram lesões corporais. Segundo o órgão, o serviço foi subcontratado a terceiros não habilitados para o transporte escolar.
A Justiça de primeira instância condenou ao ressarcimento, no valor integral do contrato de R$ 1.092.700,00, no percentual de 90%, os réus Célia Vitória Nery da Silva, secretária municipal de Educação à época, e o ex-prefeito José Baldoíno Nery, de modo solidário; e no percentual de 10%, também solidariamente, a Conservis e Andrew Fabrício Ferreira Santos, sócio da empresa.
Os réus também foram condenados à perda das funções públicas, caso as detenham, e suspensão dos direitos políticos pelo período máximo – oito anos – exceto a pessoa jurídica, por esta penalidade ser incompatível com sua natureza.
A Justiça de 1º Grau ainda fixou pena de multa, a ser paga solidariamente por todos os condenados, incluindo a empresa, no valor correspondente ao dano, ou seja, R$ 1.092.700,00, com juros e correção a partir de abril de 2014.
Por fim, proibiu todos os condenados de contratar com o Poder Público pelo período de três anos.
Os condenados apelaram ao TJMA, alegando ausência de dolo e pela diminuição do ressarcimento ao erário e da multa para o valor do lote previsto no edital, destinado à locação de transporte público escolar, no valor de R$ 600 mil.
VOTO – O desembargador Raimundo Barros (relator), em análise minuciosa dos autos, disse que as provas demonstram a ocorrência do ato de improbidade administrativa e que o prejuízo ao erário é evidente. Acrescentou que os réus confessaram que a empresa vencedora do pregão presencial recebia, mensalmente, R$ 60 mil por serviços subcontratados a terceiros.
Barros frisou que houve a intenção deliberada de todos os apelantes em “forjar”, “fraudar” o processo licitatório para enriquecer de forma ilícita a empresa Conservis e lesar o erário.
Ao analisar, porém, o pedido comum a todos os recorrentes quanto à redução do valor do ressarcimento e da multa, o relator observou que foi levado em conta, em primeira instância, o valor total do contrato firmado. O desembargador verificou que a instrução processual e o inquérito civil apuraram tão somente o contrato de transporte público escolar, no valor de R$ 600 mil. Em razão disso, Barros entendeu por reformar a sentença de base nesse ponto. E modificou também a proporcionalidade na aplicação das sanções.
Dessa forma, condenou Célia Nery da Silva, José Baldoíno Nery, Andrew Santos e a Conservis ao ressarcimento integral de R$ 600 mil, no percentual de 90% aos réus Célia Vitória e José Baldoíno, de modo solidário; e no percentual de 10%, solidariamente, aos réus Andrew e Conservis.
Os mesmos três réus – pessoas físicas – já citados, além do pregoeiro Wagno Setúbal de Oliveira, que elaborou o edital, e o ex-presidente da Comissão Permanente de Licitação, Gersen James Correia Chagas, também foram condenados à perda das funções públicas, caso tenham, e à suspensão dos direitos políticos por oito anos.
Quanto à multa civil, as cinco pessoas físicas e a Conservis foram condenadas a pagar R$ 600 mil, na seguinte proporção: R$ 350 mil, por José Baldoíno; R$ 20 mil, por Célia Vitória; R$ 15 mil, Wagno Oliveira; R$ 15 mil, Gérsen James; R$ 100 mil, Andrew Fabrício e R$ 100 mil, pela Conservis.
Todos, inclusive a empresa, também foram proibidos de contratar com o Poder Público por três anos.
Os desembargadores José de Ribamar Castro e Ricardo Duailibe também votaram pelo provimento parcial das apelações para reduzir o valor do ressarcimento ao erário e da multa civil, mantendo-se os demais termos da sentença de 1º Grau.

COPÃO DA BR 2017: Seleção de Turiaçu desbanca Araguanã fora de casa e carimba vaga para a grande final

Com campanha superior a da equipe de Turiaçu, a equipe de Araguanã entrou para o jogo como favoritíssima não só pela campanha mas também por jogar ao lado de sua torcida, com o mando de campo. A partida diga-se de passagem marcaria a inauguração do estádio Nazão, entregue pelo prefeito Valmir aos esportistas do município, como o futebol é uma caixinha de surpresas, tudo poderia acontecer. A equipe de Araguanã começou melhor, investindo mais no ataque e aproveitando os espaços deixados por Turiaçu e essa superioridade se converteu em gol ainda na etapa inicial. Já na segunda etapa, sabendo que só a vitória ou um empasse aplacaria os ânimos, a seleção de Turiaçu partiu para cima da seleção da casa e após muita insistência conseguiu empatar o placar. Terminado o tempo normal, as equipes tiveram que vencer o cansaço físico ao direcionarem suas atenções para as penalidades. Com um péssimo aproveitamento nesse quesito, a seleção de Araguanã sucumbiu diante de Turiaçu pelo placar de 4 a 1 nos pênaltis, garantindo vaga para a grande final da competição.